11/01/07

O Poder da Palavra

«Um dia li um livro e toda a minha vida mudou. Desde a primeira página, sofri com tanta força o poder do livro que senti o meu corpo apartado da cadeira e da mesa a que me sentava. No entanto, ao mesmo tempo que experimentava a sensação de que o meu corpo se afastava de mim, todo o meu ser continuava, mais do que nunca, sentado na cadeira, à mesa, e o livro manifestava todo o seu poder não só na minha alma, mas em tudo o que compunha a minha identidade».
Orhan Pamuk
A Vida Nova

13 comentários:

ccc disse...

Como tem razão o Pamuk. Não foi à toa que ganhou o Nobel!
Os livros mudam a nossa vida .. sempre para melhor :)

PS - já corrigi o link

Miguel S. disse...

Ainda há pouco tempo li, pela pela primeira vez, um livro dele. O poder de um (bom) livro nunca deve ser subestimado.

ergela disse...

Já prometi a mim mesmo que tenho que ler este livro,mas a falta de tempo estraga todo.

Peste disse...

Gostava de pedir que divulgasse e participasse na campanha de benificiência que lancei no meu blog à Instituição Ajuda de Berço.

http://linguadepeste.blogspot.com/

Grata

Anónimo disse...

Vou ler este livro, ai vou, vou... esta citação é muito sugestiva...

Anónimo disse...

...é bem verdade a ligação eterna com um livro. Bem verdade.

Anónimo disse...

Olá! A CCC indicou e eu vim até cá! A Vida Nova do Pamuk, é dos próximos no nosso clube de leitura!!! Parece-me prometedor...

Abraço,
Mizar

BAd disse...

Acontece-me muito sair do meu corpo e viver uma nova vida quando leio um livro, e é uma sensação maravilhosa.
Perco a noção das horas...
Um bom livro transporta-nos para outras vidas e outros lugares.
Adoro essa sensação.
Beijinhos

Anónimo disse...

Que saudades de um livro assim! Tenho de experimentar este...

asdrubal tudo bem disse...

que vergonha. não só não conheçp o livro como nunca ouvi falar no autor. tenho que comprar esse livro.

Anónimo disse...

Acho que já me aconteceu isso com 2 ou 3 livros que li.

1entre1000's disse...

que bonito! :)

sleep well disse...

os livros são poderosos.
são capazes de coisas infinitas em nós.
os livros de Pamuk tb são assim.