07/06/07

Portanto, não falar das coisas é pedagógico. Com o álcool é diferente: a malta fica alegre, pronto

Recorda-se do último abuso de álcool que teve?
A minha última bebedeira... bebedeira não, mas alegre e tal, foi quando saímos todos, quando é que isso foi? (...) No concerto dos Buraka Sound System.
Já fumou um charro com os amigos do BE?
Não vou responder a isso.
Fala de álcool e não de drogas. É preconceito?
Não. Admito as duas coisas. Não tenho problemas com o charro. Mas acho pedagógico as pessoas não falarem sobre essas matérias com muito à vontade, porque temos um problema real de droga em Lisboa.
Usa drogas leves ou não?
Não respondo a essa pergunta.
(José Sá Fernandes, em entrevista à revista Sábado)

18 comentários:

Suzi disse...

outro dia eu dizia que quando temos uma decisão para tomar e não tomamos, isso já é uma decisão, lembra?

pois é...
quando temos uma pergunta para responder e não respondemos...

rs*

(não sei que tipo de droga é essa "charro"...)

Anónimo disse...

Quais Buraka Sound Sistem... BURAKA SOM SISTEMA!!!
Resposta um bocado idiota a perguntas definitivamente cretinas... (Desculpa a acidez do comentário).

(menir camuflada)

Custódia C.C. disse...

Digamos que ... perguntas altamente pedagógicas, para respostas idênticas!

Anónimo disse...

Como o idiota do Manuel Monteiro disse :

Nunca fumei um charro, mas já inalei.

astuto disse...

Isto é que é frontalidade, não fugiu de nenhuma questão.

Sabem onde vai ser a próxima aparição da Senhora de Fátima? Não percam a entrevista!

http://homemmau.blogspot.com/2007/06/grande-entrevista-senhora-de-ftima.html#links

Cumprimentos.

Zé Ninguém disse...

Cara Marta

A propósito deste seu post tive um interlúdio com o movimento Maria.com que pode ver em:

http://absolutamenteninguem.blogspot.com/2007/05/commaria-como-prometido.html

Sei a Marta está sempre disposta a ajudar nestes dilemas de Zé e dos pobres cavalheiros, logo aqui fica convite, para um comentário elucidativo:

http://absolutamenteninguem.blogspot.com/2007/06/as-damas-2.html

passe a publicidade

espero que o senhor gancho me perdoe

Cumprimentos

Luís F. disse...

Pois...

Há assuntos inconvenientes, há...

Capitão Gancho disse...

ENTREVISTA AO CAPITÃO GANCHO:

JÁ FUMOU UM CHARRO?
-È assim...talvez...quer dizer...acho que...pensando bem...senti o cheiro adocicado...ía a passar, entende...mas fumar mesmo? hum....

ALCÓOL OU DROGAS:

Eu prefiro Rum, porque fazbem ao coração,álcool mesmo? nem pensar...que côr é esse liquido? sabe a quê? hum, nunca faria isso.
Drogas? sim frequento drogarias. Compro fechos, fivelas, fitasde couro, bandeirólas para festas no galeão, petróleo para as lamparinas...Mas mais? não sei...desconheço...

USA DROGAS LEVES OU NÃO?
Sempre levezinhas..detesto +eso. Dá-me cabo da região lombar...Uma anorexiazita marcha de vez enquando...

desculpe posso SUGERIR umas perguntas para esta ENTREVISTA?

Manuela M.Guedes: ok

Capitão Gancho: pergunte isto:

-Capitão Gancho a que se deve esse seu extraordinário charme?

- Esse seu sorriso encantador, é verdade que todas as mulheres caem a seus pés?

- O seu sucesso profissional, todos aqueles barcos pilhados, aliás sei que os barcos quando são abalroados lhe entregam tudo o que têm, pois para eles é uma honra serem roubados por si, é verdade?

- Essa sua elegância...qual é o segredo? Benecol?

Manuela Moura Guedes: Sr.Capitão Gancho, depois podia-me dar boleia? vai para que lados?

Capitão Gancho: para onde a menina vai?

Manuela Moura Guedes: consigo, até ao fim do mundo. Passamos só por aquele chato do Moniz que está na ilha dos Amores, pode ser? para lhe dizer para ele tomar conta dos ranhosos dos filhos.

Capitão Gancho: ok miúda, trepa para o galeão. ( estas gajas não me largam )


Fim da entrevista

Capitão Gancho disse...

Para ZÉ NINGUÉM:

PORRA, OUTRA VEZ????? MAS QUE SE PASSA, SEU CHORÃO????

MAS NÃO HÁ MEIO DE APRENDER?

VOU DAR-LHE UM CURSINHO INTENSIVO DE VALORIZAÇÃO PESSOAL....inscreva-se lá....

Já não aguento essas choraminguelas... você devia chamar-se o ZÉ DILEMA...

Haja Deus...

Bikoka disse...

E será que também não existe um problema de alcoolismo em Lisboa (e já agora em Portugal)?

Miguel S. disse...

A malta ligada ao BE é toda muito intelectual e desempoeirada, mas quando se trata de chamar os bois pelos nomes, ai é que a porca torce o rabo!
Para a Suzi:
Um charro é um baseado.

Miss Alcor disse...

E é isto que temos sentado no parlamento!!!

Sem mais comentários, caso contrário arriscas-te a ler um chorrilho de palavrões!

Malditos!

Zé Ninguém disse...

Ui! Gancho falou para mim!!!!!
Vou já vestir as collants verdes...me espera!Bandidão!

Curso intensivo de valorização pessoal?!?

Vou realmente mudar de nome mas para Zé Pachorra de Santo

Pedro Fonseca disse...

Parte da entrevista muito infeliz por parte do(a) jornalista. Cabe na cabeça de alguém fazer perguntas daquelas?

asdrubal tudo bem disse...

faz-me lembrar um amigo meu que há 20 anos disse um dia. "já não fumo charros. Agora só meto drunfs" resultado: Passados 2 ou 3 anos deu um tiro na cabeça.

magarça disse...

Já nada me surpreende neste senhor. Vazio de ideias e cheio de demagogia.

Mocho_ao_Luar disse...

ahahaah isto foi asério?? sim, porque ele não respondeu nem nada!! brutal..

anarresti disse...

parece-me evidente que ele sabe que não respondendo dá a entender que a resposta seria sim. mas é compreensível que um político prefira ter cuidado nas respostas que dá em entrevista. se já assim, aqui neste blogue por exemplo, de uma entrevista inteira é esta a parte que achaste suficientemente interessante para ser citada [e de certeza que ele falou de coisas mais importantes] então se ele respondesse abertamente muito provavelmente a Sábado ia fazer manchete com "Sá Fernandes confessa [ou admite] fumar haxixe". E isso claramente prejudicaria a gestão da comunicação no âmbito da sua candidatura. é perfeitamente compreensível. há também outra coisa, e por isso a justificação [meio trapalhona e pouco esclarecedora] de dizer que não é pedagógico falar com muito à vontade. é que ele é uma figura pública, um político. uma declaração em que ele admitisse fumar charros de vez em quando poderia ser transformado em apologia das drogas. [o que não é de estranhar, porque tantas vezes se deturpa a proposta de liberalização das drogas leves para a apresentar como se os seus defensores fizessem apologia e publicidade ao uso de drogas]. e já agora, os que aqui se insurgem contra esta "falta de sinceridade", com a atrapalhação do Sá Fernandes perante uma pergunta inesperada ponham-se no lugar dele por instantes. mesmo não sendo figuras conhecidas, se vos fizessem a pergunta, "usa drogas?" e soubessem que essa entrevista ia ser lida por toda a gente que vos conhece, respondiam que sim, [se a verdade fosse que sim]?