14/08/07

...

Acho graça a certos ladrões. Não dos que praticam o ‘esticão’ com velhinhas indefesas ou assaltam bombas de gasolina para roubar latas de cerveja. Não têm graça nenhuma. Por motivos óbvios, os que agridem ou matam também ficam de fora. Gosto de perfis misteriosos que praticam o exercício com elegância, com savoir-faire. Por exemplo, anda um ladrão à solta em Lisboa que acho um tipo interessante. Para já, assalta bancos que é uma coisa que me agrada logo à cabeça. Depois, age sozinho. É um solitário, deve ser romântico. Dispensa rebanhos, não parece precisar deles para se sentir grande ou imbatível. Claro que tem uma arma porque também não rejeita a sua condição. Um ladrão precisa de uma arma como o pescador precisa de uma cana. Ou um médico de um estetoscópio. Mas lá porque é ladrão não tem que ser assassino. Por isso, nunca disparou um único tiro. Também aprecio o facto de roubar pequenas quantias de dinheiro. Não demonstra ganância, nem apego a valores materiais. Provavelmente, rouba só para garantir alimento e pagar contas correntes. Não é megalómano na escolha dos balcões onde actua. Escolhe dependências pequenas e discretas, sem grande movimento porque não precisa de espectadores nem está interessado em protagonizar cenas de fuga dignas de filme e cheias da adrenalina que os ladrões vulgares tanto apreciam. A cereja no cimo do bolo está no facto de praticar o roubo com uma calma notável, deixando-se filmar pelas câmaras de vídeo vigilância sem aparentar nervosismo. Num certo sentido é um gentleman no seu ofício: recatado mas hábil, sensato mas corajoso, elegante mas eficaz, confiante mas nunca emproado. A isto chama-se estilo e é daquelas coisas que não se aprendem nem se compram. Nascem connosco. Ou não.

22 comentários:

Luís F. disse...

Ora aqui está um ladrão com estilo…

Paulo disse...

Hmmmm... compreendo que haja algum romantismo no estilo, mas não há nobreza alguma no acto. Nem nos meios empregues, nem nos fins alcançados.
Mas entendo perfeitamente o que queres dizer :)

Anónimo disse...

Obrigado. Sinto-me profundamente lisonjeado e vou já marcar a tatuagem do seu nome no ante-braço.

Sara disse...

A tradição já não é o que era... :P

Luís disse...

Não resisto a deixar um comentário a este teu Post, pois que, acabei de ver a reportagem a respeito no jornal da tarde e devo dizer que, o comentário por ti aqui deixado a esta recambulesca história da vida real é digno de ser comparado (para melhor)ao de qualquer um dos melhores artigos escritos pelos "Famosos Cronistas" dos mais conceituados semanarios da nossa Praça. Tenho dito!
Parabens!

Pedro Soares Lourenço disse...

...são arguidos de classe.

: ) disse...

Sim perfeito belo reparo e que bem escrito também o achei uma pessoa de bem :)

1entre1000's disse...

Solitário Português este comentário é para ti: tens aqui uma verdadeira fan! Ela tal como tu sabe ter estilo naquilo que faz!

nelio disse...

já o meu pai me dizia: faças o que fizeres, é preciso é que o faças bem...

Blue Angel disse...

Talvez, mesmo neste tipo de "profissão" hajam pessoas com e sem ética, lol...

Miss Alcor disse...

É certo que pode ter nascido com ele, mas o facto de desfilar à frente das câmaras não abona muito a favor dele...
Se calhar usar uma peruca não era má ideia! (é muito CSI nesta cabeça... eu sei!)

Francis disse...

até para se ser ladrão tem que se ter estilo...

Anónimo disse...

com este texto quase que se cria uma corrente de amizade com o senhor!
concerteza, vai haver uma altura em que os utentes da fila lhe concedem passagem e, como num bom espectáculo, despedem-se dele com uma valente salva de palmas!

boa perspectiva!

Fã de solitário disse...

Acho que se de facto ele confinar os seus assaltos ás intituições bancárias, só por isto já tem o meu total apoio...Todos nós somos roubados por esses viagaristas de casaca e boa pinta, que abusam de lhes depositarmos nas mãos as nossas parcas economias (por mim falo).Tiro o meu chapéu a este Homem solitário que ROUBA ESTES CANALHAS.
Rouba, rouba, até não teres forças, se eu algum dia descobrir a tua identidade, fica tranquilo jamais darei informação disso.

GANDA HOMEM, e têm-os no SITIO.

astuto disse...

Primeiro, excelente texto. Levas jeito :-)

Segundo, nunca considerei um homem que assalta um banco um ladrão. Se bem que não se deve elogiar tais actos, não é mais ladrão o banqueiro que, através de através de taxas altíssimas de juros, ganha milhões e milhões só para si?

Cumps.

Suzi disse...

Que análise e tanto!!!!
Acho que só um "CARACA!!!" expressaria minha admiração pelo texto bem sacado, irônico, pueril e inteligentemente crítico.
Ou um U-AU!!!!!

Anónimo disse...

Obrigado, obrigado.

Marta disse...

Um verdadeiro delirio :)
Vi a notícia no jornal, ouvi na Tv e agora aqui...
Gostei.
Muito :)

Rita Maria disse...

Um charme de ladrao. E depois, os bancos roubam-nos tantas vezes todos os dias que nem sei se isso é moralmente condenável...

Alexandra disse...

Está feito. Além de assaltar bancos, ainda vai partir corações!

Carapau de Corrida disse...

Pode não haver nobreza no acto (como diz o Paulo), mas os bancos, as seguradoras e até o próprio governo, roubam-nos "à força toda" sem o menor indício de romantismo e com um estilo há muito estafado.
Vivam os ladrões românticos (desde que não roubem o meu).

Carapau de Corrida disse...
Este comentário foi removido pelo autor.